Foi reinaugurada, na última sexta-feira, 25, a Cadeia Pública de Colinas do Tocantins. A unidade foi reestruturada com a construção de uma área administrativa e um espaço multifuncional, um muro de quatro metros de altura ao redor de toda a unidade, um balcão gradeado na entrada, espaço e equipamentos odontológicos e também uma nova cela, além das cinco que já existiam. Foram colocadas ainda câmeras de monitoramento em lugares estratégico para aumentar a segurança e feita pintura de todo o espaço.

A reforma da unidade que aloca, atualmente, 94 reeducandos, contou com o apoio da sociedade organizada, vereadores, Prefeitura de Colinas, através do Preféito José Santana, o Juiz Substituto do Juizado Especial Cível e Criminal, Dr. José Carlos Ferreira Machado, e ainda o empresário local, Gilmar Lemes, que auxiliou desde a idealização do projeto de reforma. A Secretaria de Estado da Segurança Pública também foi parceira com a doação de todos os equipamentos necessários para compor o espaço administrativo.

“Quando nossa secretária, Gleidy Braga, veio aqui a primeira vez, ela disse que precisávamos, juntos, humanizar a cadeia. Penso que estamos conseguindo e essa reforma essencial foi o nosso primeiro passo. Ela trará melhorias estruturais e também dignidade para os presos. Temos agora um parlatório para os advogados e defensores terem mais privacidade com os reeducandos, também melhoramos a segurança da unidade”, disse o Dr. José Carlos, juiz que acompanhou e auxiliou na reforma, mobilizando a sociedade, desde o projeto inicial.

A secretária Gleidy Braga disse, emocionada, que se surpreendeu ao chegar na unidade e ver tamanha transformação. ”Todo o processo, pensado e acompanhado por essas pessoas que foram tão importantes, a comunidade e o Governo, nos faz enxergar uma nova unidade. Um espaço mais bem estruturado e propício para trabalhar melhor aspectos educacionais e de trabalho e renda”, afirma, emocionada.

O empresário e bacharel em Direito, Gilmar Lemes, adotou o projeto desde o início por acreditar que é preciso mobilizar toda a sociedade pode auxiliar nas melhorias das unidades públicas. “Eu ajudei a buscar recursos e administrar, juntamente com o chefe da unidade, pensando também no que era prioridade para essa unidade. Essa mobilização fez com que todos percebessem que a cadeia precisa de estrutura, e também de projetos de ressocialização”, explica.

O secretário de Estado da Segurança Pública, Cesar Simoni, relembrou a importância de possuir uma cadeia bem estruturada e organizada. “A segurança pública não é um trabalho que deve ser feito apenas fora da cadeia, mas dentro, com uma estrutura adequada para o resguardo dos servidores que trabalham dentro do Sistema, bem como a prevenção de fugas e ressocialização daqueles que querem oportunidades, podendo voltar para a sociedade e ser cidadãos melhores”, afirma.

Recentemente, a unidade também recebeu da Seciju um Pórtico e um detector por Raio-x para auxiliar na segurança e controle de entrada na unidade.

Estrutura, Educação e Trabalho

Segundo o chefe da unidade, Gilson Paz, essa foi apenas a primeira fase da reforma que consiste, ao todo, em reestruturação, projetos de educação e oportunidades de trabalho e renda para os reeducandos. “Essa primeira parte da reforma foi para termos um espaço mais seguro para os próprios servidores e adequado para uma vida mais digna para os presos. Em um segundo momento, implantaremos também uma oferta educacional e serviços de remissão e ressocialização, através dos projetos da Seciju”, explica o chefe.