O governador Marcelo Miranda vistoriou na manhã desta segunda-feira, 28, as obras da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Pediátrica do Hospital Municipal Eduardo Medrado, em Araguaína.

“Estou na estrada fazendo o que mais gosto: visitando os municípios, perto das pessoas e entregando obras de alcance social para população. O setor da saúde é um dos que mais mobiliza a nossa gestão. A população quer resultados. E são essas respostas que estamos dando com trabalho”, ressaltou o governador Marcelo Miranda.

As obras no hospital permitirão a abertura de 10 leitos da UTI Pediátrica que, após serem concluídos, receberão os equipamentos adquiridos pelo Governo do Estado, em conformidade com a normativa do Ministério da Saúde. O Governo investiu R$ 568.014,47 em equipamentos.

Segundo o prefeito de Araguaína, Ronaldo Dimas, com o trabalho em conjunto será possível desenvolver as atividades da UTI Pediátrica. “Essa obra é um exemplo do trabalho em conjunto desenvolvido pelo governador em parceria com os municípios e com a participação do Governo Federal. Esse trabalho integrado sempre gera frutos que beneficiam diretamente a população”, ressaltou.

Com relação à manutenção e custeio, estes seguirão a normatização do Sistema Único de Saúde (SUS), ficando estabelecidos os percentuais de 25% para o Estado, 25% para o município e 50% oriundos do Ministério da Saúde.

O secretário de Estado da Saúde, Marcos Musafir, explicou que a UTI Pediátrica será referência para todo o Estado. “Temos aqui cerca de 70 municípios que têm como referência Araguaína. Mas essa UTI é do Estado e vai atender de forma regulada, organizada por prioridade e gravidade, a todas as crianças do Estado que necessitem de terapia intensiva. É um importante passo para a reorganização da rede de Saúde do Tocantins”, declarou.

Casa da Gestante

Também em Araguaína, Marcelo Miranda prestigiou a solenidade de inauguração da Casa da Gestante, Bebê e Puérpera do Hospital e Maternidade Dom Orione (HDO), batizada de Casa Divina Providência. O local tem como função acolher, orientar, cuidar e acompanhar gestantes, puérperas e recém-nascidos de risco, que necessitam de observação diária, mas não precisam permanecer no ambiente hospitalar.

A deputada federal e primeira-dama, Dulce Miranda, nomeada madrinha da Casa, destacou a importância do trabalho que será desenvolvido na Unidade. “Eu tenho a honra de ser a madrinha dessa Casa. O trabalho que será desenvolvido aqui terá um reflexo direto na qualidade de vida das mulheres e das nossas crianças. Ela beneficia mulheres que estão com dificuldades em um momento tão importante da sua vida, que é o nascimento de um filho”, enfatizou.

O diretor presidente do Hospital Dom Orione, Jarbas Assunção Serpa, contou que a unidade hospitalar realiza uma média de 550 partos por mês e recebe mulheres de municípios vizinhos e dos estados do Maranhão e do Pará. “A mãe que tem seus filhos internados no hospital precisa alimentar, acompanhar, dar o carinho. Muitas não têm condições de ficar transitando de três em três dias para estar com os filhos que estão internados e poderão ficar nessa casa”, explicou.

Estrutura

A casa conta com 20 leitos e receberá as mulheres gestantes, em cuidados que não precisam de internação hospitalar, ou mulheres que tiveram filhos prematuros internados e que precisam ficar em contatos com seus bebês, bem como as que tiverem recém-nascido na UTI Neonatal ou na Unidade de Cuidado Intermediário Neonatal Convencional (Ucinco).

Presenças

Acompanhou o governador na solenidade a vice-governadora, Cláudia Lelis; a secretária especial de Políticas para as Mulheres, do Ministério da Justiça e Segurança Pública, Fátima Pelaes; os deputados federais Lázaro Botelho e Josi Nunes; os deputados estaduais Valderez Castelo Branco, Olyntho Neto, Elenil da Penha e Jorge Frederico; além de outras autoridades.