O deputado Eli Borges (PROS) criticou na sessão desta terça-feira, dia 8, a Secretaria de Cidadania e Justiça do Estado pela realização do programa Caravana da Diversidade Sexual.

De acordo com o órgão, o projeto pretende combater no ambiente escolar o preconceito à orientação sexual, mas, para Eli, a iniciativa desrespeita o Plano Estadual de Educação, que excluiu de seu texto o tema “ideologia de gênero”. O parlamentar disse que vai apresentar à secretaria requerimento de informações sobre o público-alvo e o custo do projeto aos cofres públicos.

“Jamais aprovei qualquer medida para discriminar ninguém, mas as leis devem ser respeitadas. Escola é lugar de todos e precisa de isenção, não de ativistas. A sexualidade deve ser tratada como conteúdo de Biologia e em respeito às faixas etárias, não como ideologia de gênero para crianças que não sabem discernir o que é mandamento, sugestão ou orientação”, completou o parlamentar.

Eli reafirmou ainda sua posição em defesa da família tradicional. Para ele, há “mais ‘cristofobia’ e ‘heterofobia’ nas ruas do que homofobia. Não vejo religiosos pregarem agressão a homossexuais”, afirmou Borges, que encerrou seu discurso com um pedido de que cada um viva “a própria intimidade como queira, desde que em sua intimidade”.